A partir das 23h00 de 31 de janeiro 2020 o Reino Unido abandona oficialmente a União Europeia, quatro anos após o referendo que auscultou os britânicos sobre a sua posição face à saída ou manutenção.

Depois de meses de indecisão, o Brexit vai mesmo acontecer, após aprovação no Parlamento Britânico em dezembro 2019, e ratificação em Bruxelas a 29 de janeiro 2020.

Naturalmente, as questões relativas às viagens são dos temas que mais dúvidas levantam. Para tal, o IPDT reuniu alguns tópicos para consideração, se está a pensar planear uma viagem ao Reino Unido nos próximos meses.

1. Até 31 de dezembro 2020, o Reino Unido estará em “período de transição”. Significa que até essa data, as mesmas regras aplicadas até hoje se mantêm.

2. Até 31 de dezembro 2020, os cidadãos portugueses que viajem para o RU apenas vão necessitar do documento de identificação (ex: Passaporte ou Cartão de Cidadão) para entrar. Este aspeto é aplicado a todos os países da União Europeia, bem como à Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça.

3. Tal como agora, os cidadãos do EEE estão sujeitos a verificações de segurança.

4. Os passageiros podem continuar a utilizar o e-Gates (torniquete com leitor de chip do passaporte) ao viajar com um passaporte biométrico, sem questões de rotina à chegada.

5. Para 2021 ainda não existe muita informação, contudo o Ministério dos Negócios Estrangeiros recomenda que todos viajem com o passaporte válido. Assegure que este passaporte está válido por mais de 6 meses.

6. De acordo com o Consulado Geral de Portugal em Londres, os cidadãos da UE e os seus familiares residentes no RU terão de candidatar-se obrigatoriamente, junto das autoridades britânicas, à obtenção do settled status (estatuto de residência permanente) ou do pre-settled status (estatuto de residência temporário), pelo menos, até 31 de dezembro de 2020.

Relativamente aos britânicos que visitam Portugal, está previsto que estes continuem a entrar no país sem necessidade de vistos de entrada, mantendo os canais abertos nos aeroportos para que possam seguir sem interrupções. Sendo o Reino Unido um dos mais importantes mercados, Portugal tem vindo a trabalhar para capacitar o destino no sentido de continuar a receber os britânicos sem burocracias.

Relembre-se que Portugal lançou em 2019, uma campanha promocional denominada Brelcome que visava comunicar ao público britânico a “disponibilidade” do país em continuar a bem-receber estes turistas.

>