A Covid-19 está a transformar o mundo, não apenas a curto prazo. O setor do turismo é um dos mais atingidos e as empresas procuram antecipar cenários para o futuro pós-pandemia.

Leia também o artigo Como serão as viagens em 2020? 9 respostas do IPDT de julho 2020.

Quando a normalidade regressar, as viagens, especialmente as internacionais, poderão ser um pouco diferentes. Neste artigo antecipamos algumas das principais transformações que o setor poderá sofrer:

1 . A recuperação terá níveis diferentes

A recuperação não vai acontecer em todos os países e regiões no mesmo ritmo, no entanto, é difícil prever quais terão maior capacidade de resposta. Por exemplo, a Itália está dias à frente de outros países europeus no que se refere a extensão e impacto do surto. Poderá isto significar que estará entre os primeiros a reabrir portas, como a China? Ou será que a profundidade do pesadelo italiano poderá significar maior relutância em abrir portas a estrangeiros? 

2. A qualidade do ar será um ativo importante

Qual modelo da Airbus tem o ar mais limpo? Podemos não saber a resposta agora, mas, quando voltarmos a voar, as companhias aéreas começarão a usar os seus sistemas de filtragem de ar como ferramenta de marketing. Alguns já começaram a enviar e-mails aos clientes informando sobre os sistemas atuais, numa tentativa de impedir o cancelamento de voos. Esta passará a ser uma pergunta que muitas pessoas farão: Quão seguro é o ar a bordo? 

3. Comboio em vez de avião

As viagens domésticas vão ser as primeiras a recuperar e, na maioria dos países, isso poderá significar viajar de comboio. Além disso os comboios são menos frequentados, têm janelas que se abrem e são mais ecológicos.

4. Seguros de voo

É provável que daqui em diante, quando reservamos uma viagem, passemos a dar mais importância ao formulário que pergunta se queremos garantir o voo. Porém, muitas vezes esse seguro não cobre muitas coisas, incluindo uma pandemia. As companhias aéreas ou as companhias de seguros terão que se adaptar para responder a esta nossa nova realidade.

5. Uma forma diferente de fazer as malas

De repente máscaras, luvas ou recipientes com desinfetante de mãos podem passar a fazer parte das malas daqui em diante. Podemos mesmo assistir a menores restrições ao nível dos líquidos permitidos na bagagem de mão, pois os viajantes podem querer transportar mais de 100 mililitros, especialmente em voos de longo curso. No entanto, este ainda é um tema que suscita muitas dúvidas e incertezas em todos os setores de atividade. Os próximos tempos serão cruciais para compreender o que futuro pós-covid19 reserva ao turismo.

>