Na semana passada lançamos um artigo onde apresentamos algumas caraterísticas do perfil do comprador de e-commerce.   

Os desafios que a COVID-19 tem lançado faz com que o IPDT apresente esta semana a parte II deste tema, focando outros aspetos que devemos ter em consideração.  

O que valorizam mais os consumidores? 

–  Compra em Loja 

  • Ver e experimentar antes da compra 
  • Compra imediata 
  • Lojas na proximidade 
  • Maior facilidade na devolução 
  • Evitar portes de envio 

– Compra Online 

  • Melhor preço 
  • Compra a qualquer momento, em todo o lado 
  • Portes grátis 
  • Variedade de marcas/produtos 
  • Possibilidade de comprar marcas/produtos que não estejam em lojas próximo de si 

Quais são os principais sites de E-commcerce? 

  • Alibaba 
  • Aliexpress 
  • Amazon 
  • Apple 
  • eBay 
  • Etsy 
  • JD.com 
  • Rakuten 
  • Suning Commerce Group 
  • Walmart 

2021: E-commerce vai superar as lojas no maior volume de compras 

Um estudo da Euromonitor International identifica 2021 como o ano em que o volume de compras em e-commerce ultrapassará – pela primeira vez na história – o volume alcançado nas lojas físicas.  

A loja físicauma experiência mais do que uma interface de compra 

À medida que as compras online vão aumentando o seu peso, as lojas físicas têm vindo a alterar o conceito. Mais do que apenas oferecerem os bens/serviços para compra, há uma preocupação maior em proporcionar uma experiência ao cliente, que o faça recordar da marca/loja e aumente, assim, o seu engagement 

As lojas vão, a médio-prazo, passar a ser extensões da loja online, para agilizar de forma mais célere questões que careçam do fator rapidez. Deste modo, é expectável que as todas as lojas físicas, em breve, disponibilizem espaços dedicados para o levantamento de encomendas/compras online, devoluções, ativação de garantias, bem como outros serviços similares.  

Voice commerce: Uma tendência no futuro? 

Há, ainda, bastantes interrogações quanto à possibilidade da compra de bens e serviços através da nossa voz. Ou seja, falar diretamente para uma plataforma online (preparada para o efeito) e comprar o que desejamos.  

Não obstante os prós-e-contras desta forma de compra, um estudo recente da Euromonitor dá conta que em 2023, 4% dos residentes dos Estados Unidos da América e da China deverão utilizar esta tecnologia.  

Empresas como a Google, a Microsoft, a Amazon, a Samsung e a Apple têm sido das mais empenhadas no melhoramento do sistema de reconhecimento de voz e da sua agilização em prol de uma mais eficaz utilização.  

E o turismo? 

Como vem sendo habitual o setor do turismo tem vindo a ser pioneiro na implementação de novas tecnologias/comportamentos de mercado. Sendo um setor de robusta sensibilidade ao ambiente envolvente, vem-se adaptando com sucesso às exigências e necessidades o mercado.  

De facto, no setor das viagens, a compra online é um comportamento bastante frequente. A maioria dos turistas já adquirem as suas viagens sem recurso às lojas físicas das agências, optando inclusive pela compra online nas suas plataformas. 

O turismo tem sido um dos setores mais ágeis da economia mundial, razão pela qual o seu sucesso tem alcançado o crescimento visto na última década. Nesta fase de break global, o IPDT está certo de que será o turismo um dos principais motores da economia mundial no momento da retoma pós Covid-19. 

>