was successfully added to your cart.

Carrinho

Nos últimos anos Portugal tem sido um hotspot para visitantes internacionais. O Reino Unido é, tradicionalmente, o principal mercado emissor para o destino Portugal, com registo de 2,1 milhões de hóspedes que geraram 9,4 milhões de dormidas, em 2019.

Com a paragem do setor em 2020, com um regresso tardio e a ritmo lento no final do verão de 2020 e com uma segunda paragem no início de 2021, a recente inclusão de Portugal na lista verde de destinos seguros do Reino Unido poderá traduzir-se num verão bastante melhor do que aquilo que se antecipava.

Os turistas ingleses e escoceses que visitarem Portugal, a partir de 17 de maio, não terão de entrar em quarentena no regresso a casa. Esta lista será reavaliada de três em três semanas, e para já, a Grécia, França e Espanha ficam fora.

Na revista de Tendências Turismo’21, num artigo do Turismo de Portugal sobre o comportamento dos mercados em 2021 prevê-se que os destinos mais procurados pelos britânicos sejam a Grécia, Espanha/Canárias e Baleares, Turquia e Portugal. Assim, com os principais concorrentes excluídos, Portugal encontra-se num lugar privilegiado na procura por destinos Europeus de Sol e Mar.

“Previmos que Portugal estaria na lista verde, porque há semanas que se falava nisto. O que não esperávamos é que Portugal fosse o único país do sul da Europa na lista”, revelou Thomas Schoen, diretor-geral Pine Cliffs Resort.

O que se diz de Portugal…

Segundo um porta-voz da Jet2, as reservas para Faro e para o Funchal dispararam “600 por cento”, em apenas 24 horas. Também se notou um aumento em toda a comunicação sobre locais a visitar, promoção de voos, reservas de hotéis e compra de pacotes promocionais, nomeadamente para o Algarve e Madeira.

Nos jornais e revistas ingleses, Portugal tem ocupado páginas com reportagens e sugestões de locais a descobrir. A publicação Quartz resumiu a procura com o seguinte título: “Get ready Portugal, the English are coming”. O The Guardian destacou Olhão, Sagres, Alte, Comporta, Lisboa, Matosinhos, Espinho, Marvão, Melgaço, Terras de Bouro, e Aveiro numa publicação intitulada “10 of the best places to visit in Portugal, chosen by readers”.

Já o The Telegraph anunciou os “melhores hotéis de praia em Portugal para este verão”. Nesta seleção encontram-se sete alojamentos no Algarve: Vila Joya, Vila Vita Parc, Memmo Baleeira, Bela Vista Hotel & Spa, Martinhal Beach Resort & Hotel, Tivoli Carvoeiro e Pine Cliffs Resort. As outras três sugestões são a Quinta da Comporta, o Areias do Seixo e o Albatroz Hotel.

O jornal Evening Standard escreve sobre os “hotéis preferidos” para umas férias em Portugal. Uma listagem bastante abrangente, do interior à costa atlântica, com alojamentos de referência como o The Yeatman, o Six Senses Douro Valley entre outras opções menos conhecidas internacionalmente.

O Turismo de Portugal congratula-se com a inclusão de Portugal na lista verde do Reino Unido e indica ainda que, nesta fase inicial da retoma, são boas notícias para o turismo nacional, uma vez que demonstra confiança no destino, que é atualmente um dos países da Europa com menor incidência de COVID-19 e com uma evolução favorável em todos os indicadores de controlo da pandemia.

Na mesma nota, Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, afirma que “este dia marca o início da reativação do turismo, no contexto internacional”, revelando que “estaremos prontos para receber os turistas britânicos com a simpatia do costume e com ainda mais segurança”.

Um ano após a criação do selo Clean & Safe, uma parceria da Direção-Geral da Saúde com a NOVA Medical School e com o Turismo de Portugal, os requisitos para adesão foram atualizados. Agora a adesão, que continua gratuita, é mais simples e ágil. Os conteúdos informativos foram revistos e o selo atualizado resulta da evolução natural do conhecimento adquirido nos últimos meses, adaptando-se às exigências atuais no domínio da saúde pública.

A expansão e renovação do selo Clean & Safe para 2021-22 demonstra o compromisso do setor na retoma segura da atividade. A luz verde no corredor aéreo do Reino Unido para Portugal é um reconhecimento dos esforços desenvolvidos.

>