A evolução do turismo deu origem ao conceito de destino turístico, como lugar da experiência do turista, de um sistema de oferta público e privado assente em atrações e atributos, integrados numa comunidade residente.

O desenvolvimento internacional do turismo incrementou a competitividade entre os destinos e, nesta perspetiva, a gestão de destinos turísticos tornou-se uma questão de extrema importância, não só no que à qualidade da experiência do visitante diz respeito, como quanto à gestão dos impactos do turismo nas comunidades locais e ambientais.

O negócio turístico é um processo complexo e desde o momento em que os visitantes chegam ao destino até o momento em que saem, a qualidade da experiência turística é afetada por muitos serviços e experiências. Fornecer serviços de qualidade depende pois do esforço conjunto das entidades públicas e privadas que atuam ao longo de toda a cadeia de valor do turismo.

Nesta perspetiva, muitos destinos recorrem a organizações de gestão de destinos, que assumem o papel de gerir e coordenar as atividades turísticas. O objetivo é maximizar o valor do turismo para os visitantes, assegurando simultaneamente benefícios e sustentabilidade locais.

Vantagens da Gestão de Destinos

  1. Criar vantagem competitiva

Há dois requisitos fundamentais para conseguir vantagens competitivas face aos principais concorrentes, designadamente, o estabelecimento de um posicionamento forte e único (oferecendo experiências diferentes com enfoque naquilo que torna o destino único e difícil de imitar) e ter uma oferta de qualidade excelente e com uma boa relação qualidade-preço.

  1. Assegurar a sustentabilidade do turismo

O desenvolvimento sustentável do turismo, com um planeamento adequado e uma gestão eficaz, assegura a integridade ambiental e dos recursos do destino. Uma boa gestão também pode ajudar a evitar conflitos socioculturais e minimizar os efeitos negativos do turismo nos estilos de vida, tradições e valores das comunidades locais.

  1. Estender os benefícios do turismo

Os benefícios do turismo podem ser repartidos pelo apoio ao desenvolvimento de produtos experiências da comunidade, como por exemplo o turismo rural e experiencial, ou pela promoção de pequenas empresas, explorando o potencial das artes e artesanato locais.

  1. Desenvolver uma marca forte e vibrante

Os destinos estão cada vez mais conscientes do valor e potencial de uma marca turística forte, estando convictos de que uma oferta de qualidade contribui para o aumento da lealdade e consequente regresso dos turistas.

>