was successfully added to your cart.

Carrinho

A comemoração do Natal é uma viagem no tempo, onde se vivem e experienciam tradições, lendas, músicas, cheiros e cores. Foi neste cenário de magia que nasceram os mercados de Natal, uma tradição medieval que desperta o espírito natalício e é celebrada durante o período do Advento. 

Esta tradição, para além de ser histórica, é cultural e surgiu na Europa (em específico, na Alemanha, na Áustria, no Norte de Itália, na França e na Suíça), onde cada localidade e região a celebrava de uma forma muito própria e característica. Porém, ao longo dos séculos, este costume espalhou-se por todo mundo acabando por se tornar global.  

Na atualidade, estes mercados continuam a ser celebrados e neles podemos encontrar um leque diverso de atividades, espetáculos e atrações, onde se promove, também, a venda de decorações de Natal, lembranças e produtos alimentares sazonais e regionais. 

A atmosfera natalícia que emana dos mercados de Natal contribuiu, nos últimos anos, para o aumento do fluxo de visitantes/turistas em algumas cidades, afetando positivamente as suas economias locais e regionais. Todavia, também, devemos considerar que a organização de campanhas promocionais de voos “low-cost”, nos meses de novembro e dezembro, tenha tido impacto na divulgação destes eventos.  

Os mercados de Natal são muito importantes na Alemanha. E são também um grande negócio. Em 2018, abriram cerca de 3 mil mercados natalícios em toda a Alemanha, atraindo um total de 160 milhões de visitantes, de acordo com um estudo da consultoria de turismo alemã IFT. Em conjunto, geraram cerca de 2,9 mil milhões de euros em receitas”. (DW News, novembro, 2021). 

Em 2020, a tradição dos mercados de Natal foi suspensa devido à pandemia. Contudo, este ano, já se planeia o regresso, apesar da constante incerteza e possibilidade de cancelamento.  

Com o intuito de manter estas comemorações vivas, vários países estão a adotar medidas sanitárias restritas, de modo a que estes eventos sejam seguros, organizados e, ao mesmo tempo, atrativos. Desta forma pode-se esperar que seja necessário e aconselhável: 

  • O uso de máscara, apesar de não ser obrigatório em alguns países; 
  • A apresentação do certificado de vacinação ou de recuperação;
  • Testagem rápida, antes de comparecer no local. 

Para além destas medidas, também foram criadas novas regras de organização e funcionamento, tais como a marcação prévia para a entrada, de modo a evitar filas, a limitação do número entradas por hora e dia, o controlo do número de pessoas nos espetáculos e atrações, a redução do número de tendas, o aumento do espaçamento entre cada infraestrutura e a criação de pontos sanitários estratégicos. Em alguns mercados foi proibido o consumo de álcool. 

É importante referir que as medidas adotadas diferem de país para país e a sua implementação, ou não, têm em conta a situação pandémica decorrente. Desta forma será prudente que os visitantes procurem informar-se convenientemente. 

Se ainda restam dúvidas sobre qual o destino escolher, a European Best Destinations pode fornecer algumas ideias. De acordo com a votação anual dos “Melhores Mercados de Natal na Europa”, em 2021, a cidade da Basileia, na Suíça, foi escolhida e ocupa o 1º lugar.  

Nesta votação, Portugal ficou posicionado em 8º lugar, sendo representado pela Ilha da Madeira que também foi eleita o destino de Natal mais seguro em tempos de pandemia. 

 

Fontes: The Guardian (novembro, 2018); Observador (2019); European Best Destination; NiT (outubro, 2021); DW News (novembro, 2021); Wikipedia 

>