fbpx Skip to main content

Portugal vai organizar a prova, em conjunto com Espanha e Marrocos. Trata-se de um novo grande evento no país depois da Expo 98, do Euro 2004 ou das Jornadas Mundiais da Juventude.

A Federação Internacional de Futebol (FIFA) anunciou, recentemente, que Espanha, Portugal e Marrocos, serão responsáveis pela organização do Campeonato do Mundo de Futebol em 2030.

O futebol é uma paixão que percorre as veias dos portugueses e o desporto tem uma importância inquestionável na nossa cultura. Em 2030, Portugal irá testemunhar um marco histórico desportivo: a oportunidade de acolher o Mundial de Futebol da FIFA. Para além da emoção desportiva, a celebração deste importante campeonato será também um forte impulsionador do turismo.

Como é que Portugal pode beneficiar com a organização do evento?

De várias formas, mas destacamos as 5 principais:

Aumento da notoriedade turística

A visibilidade global do Mundial de Futebol de 2030 não só irá promover a imagem de Portugal, como também estimular o turismo no nosso país, através de incrementos em receitas.

Os fãs de futebol de todo o mundo vão ter mais um motivo para visitar Portugal, não apenas para assistir aos jogos, como também para conhecer o país, e se tornarem novos embaixadores do destino.

Impulso da economia local

A realização deste tipo de eventos tem representado retornos positivos consideráveis aos países que os recebem e Portugal não será exceção. Estes retornos vão impactar positivamente não só as empresas que diretamente se relacionam com o turismo, mas também toda a cadeia de fornecimento dos serviços essenciais de apoio ao acolhimento de pessoas deslocadas das suas residências. De entre os vários exemplos, destacamos a Alemanha, que organizou o Mundial de 2006.  Segundo a Associação de Comerciantes Alemães, o torneio gerou diretamente 2 mil milhões de euros em receitas. Os setores de hotelaria e restauração, por exemplo, registaram no total uma receita adicional de 300 milhões de euros. Foram, também, gerados cerca de 50 mil novos postos de trabalho, impulsionados pelo evento.

Embora seja, para já, prematuro antever os reais impactos económicos que a organização do Mundial 2030 poderá trazer, é certo que os grandes eventos desportivos geram receitas significativas nos países que os acolhem. Em Portugal temos o exemplo do Euro 2004, que gerou um resultado de 440 milhões de euros, ou da Liga das Nações de 2019, com um impacto económico de 150 milhões de euros.

Imagem positiva do país

Portugal é um país de clima ameno, seguro, e com um custo de vida relativamente baixo para os estrangeiros. Reúne todas as condições para ser um destino atrativo.

Acolher um evento de grande magnitude, como é o caso do Mundial de Futebol, é uma garantia de exposição global única. No decorrer do campeonato, os olhos dos espectadores estarão voltados para Portugal. A cobertura mediática e a atenção dos fãs de futebol de todas as partes do mundo irão ajudar na promoção da nossa beleza natural e cultural, numa dinâmica que trará dividendos muito para além do período de realização da prova desportiva.

Aposta nas infraestruturas

Preparar o país para receber o Mundial de Futebol requer investimentos consideráveis em infraestruturas. Para além da construção ou renovação dos estádios de futebol, poderão ser necessários investimentos em estradas, transportes públicos, aeroportos e alojamentos. Estas melhorias vão contribuir para o sucesso do campeonato, mas também para os cidadãos portugueses, que serão beneficiários a longo prazo.

Patriotismo

Acolher um evento da magnitude do Mundial de Futebol irá despoletar um sentimento de orgulho nacional para todos os portugueses.

Este evento irá reforçar o nosso patriotismo e a nossa capacidade de superar desafios.  Os portugueses terão oportunidade de demonstrar a todo o mundo a nossa grande paixão pelo futebol e a nossa distinta hospitalidade.

Em suma, receber o Mundial de Futebol de 2030 será mais uma oportunidade para Portugal e para a atividade turística representando estímulos positivos sociais económicos muito significativos.

>