Depois de apresentarmos três problemas que se colocam com frequência na gestão de uma unidade hoteleira (a época baixa, a elevada competição e a sustentabilidade), nesta publicação abordamos outros não menos relevantes.

Os impactos da tecnologia no processo de viagem, a exigência na limpeza e higiene e a ausência de uma experiência turística nas unidades hoteleiras são os aspetos abordados.

4. O IMPACTO DA TECNOLOGIA NOS PROCESSOS TURÍSTICOS

A forma como os hóspedes procuram informação, como reservam e como partilham o feedback da sua experiência no hotel mudou radicalmente desde as últimas décadas.

A entrada da internet nos processos turísticos, por exemplo, obriga a uma constante monitorização dos canais digitais e a adaptação dos processos das unidades de alojamento, de acordo com os novos comportamentos dos seus clientes.

5. CONSISTÊNCIA NA LIMPEZA E HIGIENE

A limpeza das unidades de alojamento é um dos atributos mais valorizados pelos hóspedes. A primeira impressão à chegada influencia, em grande parte, o nível de satisfação final com a experiência no hotel.

Ainda que este não seja efetivamente um desafio novo na gestão hoteleira, continua a merecer uma atenção especial – não se pretende que a reputação do hotel (cujo custo para criar é muito elevado) seja afetada por possíveis erros ou deslizes relacionados com a limpeza e higiene.

6. CRIAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS

Prestar um serviço de qualidade no alojamento é essencial. Todavia, os hotéis poderão destacar-se, e evitar a elevada concorrência, se basearem o seu serviço numa lógica de “oferecer uma experiência personalizada”.

Para alguns hotéis a tecnologia poderá ser o elemento que potencia uma experiência diferente, mas para outros a diferenciação recai no design ou nos serviços ao dispor.

>