Quando falamos em excursionismo, raramente associamos a palavra ao seu verdadeiro conceito. Trata-se de um segmento importante para os setores do turismo e economia e que importa conhecer melhor.

Um excursionista é um viajante que permanece menos de 24 horas num local, não pernoitando no destino. Pode viajar com várias finalidades, mas sempre sem uma dormida associada. Os motivos podem ser:

    • Profissionais (reuniões, ações de formação, participação em conferências ou eventos…)
    • Pessoais (desporto, saúde, motivos familiares, estudos, peregrinação participação em eventos…)

Segundo o relatório de estatísticas de turismo do INE, no ano 2017, cerca de 6,2 milhões de portugueses efetuaram pelo menos uma viagem de excursionismo. No total, foram realizadas mais de 118 milhões de deslocações em excursionismo em Portugal, sendo que, destas, 52% foram realizadas por mulheres.

Em média, apenas 6% dos 118 milhões de viagem tiveram origem em motivos profissionais. Os meses de Fevereiro e Abril são os que, tradicionalmente, apresentam maiores índices de “excursionismo” com motivos profissionais – cerca de 9% do total das viagens.

Efetivamente, a maioria do “excursionismo” é praticado com motivos pessoais, sendo mais intenso nos meses de julho a setembro, representando, aproximadamente 97% do total das viagens excursionistas.

Analisando este tema pelo género, faixa etária e motivo de viagem, encontramos alguns elementos-chave para a definição de políticas que possam beneficiar estes públicos e os destinos:

MULHERES
    • 84% das excursionistas, por motivos profissionais, têm menos de 44 anos.
    • O excursionismo por motivos pessoais é mais frequente, nas mulheres, após os 44 anos (55% das viagens). 
HOMENS
    • 65% dos excursionistas, por motivos profissionais, têm menos de 44 anos.
    • O excursionismo com motivos pessoais é mais frequente, nos homens, após os 44 anos. (52% das viagens).

Fonte: INE

CONCLUSÃO
  • Nas mulheres, 8 em cada 10 deslocações por motivos profissionais são realizadas até aos 44 anos.
  • Nos homens, as percentagens são mais homogéneas ao longo das várias faixas etárias.
  • 6 em cada 10 deslocações excursionistas, por motivos pessoais, são realizadas por pessoas com mais de 44 anos.
  • Apenas 3 em cada 10 deslocações excursionistas, por motivos profissionais, são realizadas por pessoas com mais de 44 anos. Sendo que destes, a maioria são homens.
>