fbpx Skip to main content

Portugal é um tesouro de regiões vitivinícolas e cada uma delas exibe uma personalidade única e uma ampla variedade de sabores e aromas.

Descubra neste artigo as 8 regiões vitivinícolas que merecem estar nos planos da sua próxima viagem.

Região dos Vinhos Verdes

Situada no extremo Norte de Portugal continental, a região dos Vinhos verdes é demarcada desde 1908.

A região dos vinhos Verdes destaca-se pelas baixas temperaturas médias anuais e pelo maior nível de chuvas comparativamente às restantes regiões vitivinícolas. Este clima e solo dificultam o processo de maturação das uvas, dando origem a vinhos mais frescos e efervescentes.

Recomendação: visite Melgaço e saboreie o vinho Alvarinho: um vinho de cor intensa, paladar leve e fresco, cor citrina e aroma delicado.

Dica: fique a saber o que fazer e o que visitar em Melgaço no nosso artigo de blog.

Caso pretenda visitar a região e conhecer melhor a essência dos Vinhos Verdes, faça uma visita a uma destas quintas:

Região dos Vinhos Verdes

Região Vinhateira do Alto Douro

Localizada entre as encostas do rio Douro e pelos seus afluentes, a Região Vinhateira do Alto Douro possuí uma área de 250 mil hectares, fazendo distribuir pelas paisagens mais pitorescas e charmosas, virtuosos campos vinícolas.

A paisagem da Região do Alto Douro é resultado da natureza e da ação continuada do homem em moldar a paisagem às suas necessidades agrícolas, face aos recursos limitados e desfavoráveis. Desta forma, em 2001, a região Vinhateira do Alto Douro foi considerada património mundial da humanidade, pela UNESCO, pela sua riqueza paisagística, patrimonial e cultural!

Sabia que: a Região Vinhateira do Alto Douro é a primeira e a mais antiga região demarcada em todo o mundo? No ano de 1756, Marquês de Pombal fundou a Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro como forma de regular a produção e a venda de Vinho do Porto e do Douro.

Dica aproveite para ler o nosso artigo blog “Estrada Nacional 222 – uma estrada pelas margens do Douro” e conheça algumas das quintas onde poderá fazer uma prova de vinhos.

Região Vinhateira do Alto Douro | IPDT-Turismo

Região da Bairrada

A Região da Bairrada situa-se na província da Beira Litoral, na região do Centro de Portugal, estendendo-se desde o litoral de Coimbra até ao interior de Águeda.

A região vitivinícola da Bairrada é notável pela influência do Oceano Atlântico, que contribui para um clima ameno, conferindo vinhos frescos e minerais que só aí conseguem ser produzidos.

A casta dominante é a Baga, uma casta produtora de uvas de maturação prolongada, resultando em vinhos tintos de cor intensa e textura encorpada, além dos inconfundíveis espumantes, reconhecidos a nível mundial.

Os vinhos produzidos na Região da Bairrada harmonizam na perfeição com os pratos tradicionais da gastronomia portuguesa.

Junte o útil ao agradável – refresque-se com uma seleção de vinhos da região, acompanhando os seguintes pratos:

  • Leitão à Bairrada;
  • Cozido à portuguesa;
  • Caldeirada de Enguias;
  • Arroz de Cabidela;
  • Chanfana à Bairrada;
  • Pão da Mealhada;

E se ainda houver espaço, reconforte-se com estes doces:

  • Ovos moles;
  • Pasteis de Santa Clara;
  • Barrigas de Freira de Anadia;
  • Amores de Curia.
Região da Bairrada | IPDT-Turismo

Região do Dão

Os campos de vinhas da Região do Dão estão plantados a mais de 400 metros de altitude em solos xistosos e graníticos de baixa fertilidade, no território de Viseu. É nesse ponto alto entre as montanhas, protegidas pelos ventos vindos das serras do Caramulo e do Bussaco, que são produzidos alguns dos vinhos mais complexos e apreciados em todo o território nacional.

A primeira região demarcada dos vinhos não licorosos de Portugal, reúne uma panóplia de castas como é o caso das tintas Alfrocheiro e Bastardo, sendo que a casta rainha é a Touriga Nacional e a branca mais tradicional é o Encruzado.

Se procura aprofundar o seu conhecimento sobre o legado e a cultura da produção dos vinhos do Dão, convidamo-lo a explorar os 42 pontos de interesse da Rota do Vinho Dão, que estão divididos em cinco roteiros, e também a visitar algumas quintas habilitadas a proporcionar uma experiência inesquecível sobre os vinhos, como é o caso da Quinta de Lemos.

Uma vez que tem interesse na Região Demarcada do Dão, aproveite para explorar Viseu “a Cidade Jardim”. Leia o artigo aqui.

Região do Dão | IPDT-Turismo

Região de Lisboa

A Região vitivinícola de Lisboa prolonga-se desde o Norte da metrópole até a oeste da costa atlântica. Geograficamente, é considerada a região mais ocidental do continente europeu, o que de certa forma beneficia dos ventos costeiros, promovendo a produção de vinhos mais frescos.

A região vitivinícola de Lisboa divide-se em 9 sub-regiões:

  • Arruda dos Pisões;
  • Óbidos;
  • Lourinhã;
  • Torres Vedras;
  • Alenquer;
  • Bucelas;
  • Colares;
  • Carcavelos,

Os vinhos provenientes da região vitivinícola de Lisboa identificam-se por exibirem um tom ácido, um teor fresco e frutado e um perfil pouco adocicado, o que resulta em vinhos de baixo teor alcoólico. Estas caraterísticas tornam os vinhos bastante apreciados, sobretudo os brancos, durante os meses quentes de verão.

Sabia: que Alenquer e Torres Vedras foram escolhidas como cidades europeias em 2018? E que a revista de vinhos norte americana Wine Enthusiastic coloca Lisboa como um dos dez destinos Enoturísticos obrigatórios?

Conheça as quintas que lhe podem proporcionar uma experiência autêntica da região:

Região de Lisboa | IPDT-Turismo

Região do Alentejo

A região vitivinícola do Alentejo localiza-se a Sul de Portugal, tendo início abaixo do rio Tejo e prolongando-se até à serra algarvia, cobrindo aproximadamente um terço da área territorial do continente nacional. A região alberga 15 hectares de vinhas coloridas que sobressaem através das planícies ondulantes de grandes sobreiros.

A Região do Alentejo tem um clima quente e seco, de influência mediterrânea, beneficiando de uma abundante exposição solar, que totaliza 2000 horas anuais de sol, em média, o que facilita o processo de maturação das uvas e, consequentemente, dá origem a frutos mais adocicados.

É uma região demarcada desde 1988 e divide-se em 8 sub-regiões:

  • Borba;
  • Évora;
  • Granja-Amarelada;
  • Moura;
  • Portalegre;
  • Redondo;
  • Reguengos;

No que diz respeito às castas mais importantes da região demarcada do Alentejo, as brancas são a Roupeiro, Antão Vaz e a Arinto, dando a origem a vinhos com um aroma tropical e ácido. Por outro lado, das castas tintas salientam-se a Trincadeira, Aragonez, Castelão e Alicante Bousche, que dão origem a vinhos tintos encorpados e aromatizados com frutos vermelhos e silvestres.

Sabia que: desde a época do Império Romano são produzidos vinhos na Região Vitivinícola do Alentejo? Prova disso são os vestígios deixados nos lagares e noutras instalações utilizadas para a sua produção.

Conhece Portalegre? Faça uma visita à propriedade familiar O Monte da Raposinha, em Montargil, e faça uma prova de vinhos. Vai valer a pena!

Saiba mais aqui.

Região do Alentejo | IPDT-Turismo

Região do Algarve

O Algarve é considerado a região vitivinícola mais a sul do país, compondo um areal de 200 quilómetros repletos de praias, dunas, falésias e sublimes campos de vinhas.

O clima da região algarvia possui caraterísticas típicas mediterrânicas que se manifestam com temperaturas elevadas. Este ambiente proporciona as condições ideais para o cultivo e o processo de maturação das uvas, resultando em vinhos mais doces e aromáticos.

Nomeada em 1980 como região Demarcada do Algarve, divide em 4 sub-regiões: Lagos, Portimão, Lagoa e Tavira.

As castas mais tradicionais do Algarve são: as tintas, Castelão e Negra Mole e as brancas, Arinto e Síria. Tanto os vinhos tintos como os brancos caraterizam-se por serem aromatizados e por serem vinhos de elevada graduação alcoólica.

Se ficou com vontade de experimentar um dos vários vinhos tintos ou brancos, recomendamos que visite a Quinta dos Vale Wine taste.

Região do Algarve | IPDT-Turismo

Região dos Açores

A mais de 1600 quilómetros de distância de Portugal continental, é no arquipélago dos Açores que nascem vinhos – em solos de natureza vulcânica – influenciados por um clima profundamente marítimo, onde a qualquer momento poderá sentir as 4 estações do ano no mesmo dia!

O povo açoriano é considerado um povo inovador e empreendedor, no que diz respeito aos métodos eficientes de salvaguarda dos vinhos aí produzidos. Na ilha do Pico são famosos os Currais de Pedra, estruturas construídas há mais de 500 anos, que têm como objetivo isolar os campos de vinhas dos ventos e da salinidade provocada pelas ondas do mar. Os currais fazem parte da identidade paisagística dos Açores, sendo atualmente Património Mundial da UNESCO, na categoria Paisagem e Cultura.

A região vitivinícola dos Açores divide-se em 3 sub-regiões, a Graciosa, o Pico e os Biscoitos.

Em relação aos vinhos, os sabores são distintos. No que diz respeito aos vinhos brancos, distinguem-se pelo gosto fresco e salino. Os vinhos tintos são intensos e persistentes, com sabores aromáticos complexos.

Sabia que: a casta Arinto dos Açores é uma casta única no mundo e, até agora, não foi descoberta a sua origem?

Região dos Açores | IPDT-Turismo
>