Mais de um milhão de jovens vão visitar Portugal em 2022, no decorrer das Jornadas Mundiais da Juventude

Está confirmada a visita do papa Francisco a Portugal para as Jornadas Mundiais da Juventude que vão decorrer em 2022. O anúncio foi feito na cidade do Panamá, durante a missa de encerramento da edição deste ano das Jornadas. Lisboa vai receber o maior evento organizado pela Igreja, que acontece de três em três anos e acolhe mais de um milhão de jovens de todo o mundo.

Em 2011 em Madrid, o encontro juntou mais de um milhão e meio de visitantes, cenário que poderá repetir-se em Portugal. No Brasil, em 2013, foram mais de três milhões de pessoas.

A propósito deste acontecimento, que tem sido divulgado com entusiasmo, é importante perceber as especificidades do turismo religioso. Trata-se de um produto turístico que se distingue por ter como motivação fundamental a fé das pessoas. Ligado profundamente ao calendário de acontecimentos religiosos, move fluxos enormes de pessoas e gera milhões de euros em receitas.

Segundo a Organização Mundial do Turismo o turismo religioso está a aumentar em todo o mundo. Estima-se que movimente anualmente 330 milhões de pessoas, que fazem 600 milhões de viagens.

 

O que motiva e proporciona o crescimento do turismo religioso

São vários os motivos que têm colaborado para o crescimento do turismo religioso. A prática religiosa como motivação para procurar locais onde a fé apresenta mais intensidade é um dos principais motivos que leva as pessoas a viajar neste contexto. Em Portugal isto também se associa a outro tipo de deslocações, nomeadamente de motivação cultural. Mas seja pela espiritualidade ou pela cultura, a verdade é que o turismo religioso proporciona uma descoberta de todo o território. Assume-se, cada vez mais, como um valor ativo e uma mais valia para o setor económico, pelos gastos em alojamento, alimentação, compra de produtos religiosos e artesanais, entre outros.

O turismo religioso adquire também um papel de relevo no contexto das relações entre as nações, uma vez que a necessária abertura de fronteiras estimula a tolerância e o respeito, aproximando culturas e construindo pontes entre países com orientação política e situações económicas muito distintas.

Acompanhe o blog do IPDT wetalkabout e fique a saber mais sobre os destinos mais religiosos do mundo num próximo artigo.
>