Estamos perante um contexto em que, muito provavelmente, “voltar ao normal” não significa regressar ao ponto de partida. Agora é importante reconquistar a confiança dos turistas. Do lado das empresas, a responsabilidade será ainda maior. Seja ao nível de conteúdos, nas práticas de sustentabilidade ou na orientação para a comunidade, as marcas terão que ser ainda mais envolventes e relevantes. Como vão ser as viagens em 2020? O IPDT foi investigar e tem algumas respostas para as principais questões que preocupam os destinos e turistas.

1.Como podemos minimizar os riscos enquanto não há vacina?

É possível minimizar os riscos de contaminação através das medidas de prevenção da propagação do vírus. Eis as mais essenciais:

  • Usar máscara;
  • Fazer uma correta higienização das mãos (sempre que possível água e sabão);
  • Usar álcool em gel (quando estiver na rua);
  • Optar por estabelecimentos que cumpram e que sejam transparentes com as novas condutas de higiene;
  • Evitar aglomerações;
  • Manter sempre uma distância segura (pelo menos 2 metros);
  • Realizar o teste de despiste.

As mesmas medidas devem ser adotadas e reforçadas em viagem.

2. Os turistas ainda vão viajar em 2020?

O confinamento aumentou a vontade de viajar e de acumular novas experiências. Porém, a forma como as pessoas vão viajar vai alterar. De acordo com um estudo da SiteMinder’s, 3 em cada 4 viajantes afirmam que a sua situação financeira foi afetada negativamente pela pandemia nos últimos meses. Ainda assim, 68% planeia viajar internamente em 2020; já cerca de 9 em cada 10 turistas pretende fazer uma viagem até o final de 2021.

3. Como serão as estadas médias no pós-pandemia?

Existem várias opiniões sobre este assunto. A mais consensual é que, pelo menos a curto-prazo, as viagens terão maior duração, sobretudo as internas. Por isso, espera-se que as estadas médias dos portugueses sejam mais longas após este período.

4. O que é que os turistas vão necessitar para viajar?

Os destinos com maior capacidade de resposta sanitária vão estar no top of mind dos turistas durante o processo de escolha de destinos para viajar. A segurança, as condições sanitárias e uma política de reservas flexíveis são, neste momento, os fatores mais valorizados pelos turistas (sobrepondo-se ao fator preço).

Quer saber mais sobre como serão as viagens pós-covid19? Consulte o artigo do IPDT que enumera as 5 principais transformações que o setor no pós COVID-19.

 5. Quando vão ser feitas as reservas?

Perspetiva-se que a curto-prazo os turistas optem por reservas de última hora. 75% das reservas serão feitas nas semanas antes da estadia, sobretudo nas três semanas anteriores. Será dada preferência à reserva via online.

6. Que alojamentos vão procurar os turistas?

Os Hotéis, as Casas de Campo e os Alojamentos Locais (AL) vão ser as tipologias alojamento mais escolhidas. Houve um aumento pela procura pelo turismo rural e por alojamentos locais de uso exclusivo, que oferecem maior privacidade aos turistas.

7. Quem vão ser os turistas no verão de 2020?

Os turistas nacionais vão ser o principal mercado-alvo dos destinos. A incerteza trazida pela COVID-19, assim como os estímulos promocionais dos órgãos regionais e nacionais, fazem com que os portugueses prefiram viajar por Portugal durante o verão. As Entidades Regionais de Turismo e o Turismo de Portugal têm vindo a trabalhar em campanhas de comunicação com vista a promover o destino nacional.

Como exemplo, destacamos a campanha #Tu Podes, do Turismo de Portugal, que incentiva os portugueses, a descobrirem o melhor destino turístico do mundo: Portugal.

8. Os estrangeiros vão viajar para Portugal em 2020?

Sim. No entanto, será em menor número comparativamente aos últimos anos. A retoma total das ligações aéreas e os corredores aéreos ainda são temas em debate. Espera-se que neste verão, os principais turistas internacionais a viajar para Portugal sejam espanhóis. O número de turistas europeus deve crescer ao longo dos próximos meses.

9. O que fazer para ter mais turistas?

Mais do que gerir as medidas de higiene e segurança, a estratégia de comunicação será determinante. Desenvolver ações de comunicação ativas e promocionais – sobretudo online – será a chave para o sucesso do ecossistema turístico.

No artigo do Blog IPDT #WeTalkAbout Comunicação Adequada Nas Redes Sociais retratamos os principais passos do IPDT na condução de um modelo de comunicação positiva junto dos mercados, que foi reforçado durante a pandemia.

>